segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Um passo

um passo ... Com a planta do pé bem plantada, melhor se não pequeno/tímido, mas este passo não precisa ser grande... De um passo levemente pra frente, talvez pra um caminho que gostaria de estar, mas que não encontra coragem, ainda... Este deve aguentar um pouco mais que seu peso, pela caminhada q vira, pela bagagem que traz... Então pode se preparar, abaixando "a mochila", desvista-a, arreste-a pelo chão, economizando energia, pro novo, deixando-a também, longe do órgão que mais dói... Divida o peso (e dores) com o chão (a base mais fortes de amores amigos..) ... Arraste neste passo, o que parece ser insuportável, e ainda insiste em crescer, desgaste-o (nos fale) enquanto vê , dum outro angulo, com outro olhar... Pise segura, na grama (que é proibida pra quem não é jardineiro, ou não sonha...),verde , úmida, que carrega a energia da terra, da vida regada de ar e água, neste beijar especial... Pise confiante, pois não tem deserto que não foi atravessado... Nem geleiras desconhecidas... Não ha floresta densas/fechadas para os livres desejos... Nem mares que não foram beijados pelos ventos, navegados pelos sonhos... Não existe um pico tão alto, nem um penhasco profundo demais... A terra, já faz tempo (!), é pequena, mesmo pra um primeiro passo... Não ha no limite, um céu que a imaginação não tenha ultrapassado... De um passo sem pressa, sem pressão ou obrigação, apenas queira andar, e ele estará naturalmente nascendo... Ricardo

Um comentário:

  1. É preciso apenas um passo. Depois dele abrem-se as possibilidades.
    Abraços!

    ResponderExcluir